[phpBB Debug] PHP Notice: in file /viewtopic.php on line 988: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone.
[phpBB Debug] PHP Notice: in file /viewtopic.php on line 988: getdate(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone.
brazdias.com • Ver Tópico - Creamfields de noite, Pablo Neruda de dia...

Creamfields de noite, Pablo Neruda de dia...

Blog pessoal! Leia e acompanhe!

Creamfields de noite, Pablo Neruda de dia...

Mensagempor brazdias » Sexta Nov 19, 2010 11:32 am

Depois de conhecer mais um pouquinho de Santiago, a noite prometia com uma festa sensacional: o evento internacional de música eletrônica CREAMFIELDS, com apresentações dos djs mundialmente conhecidos David Guetta e Paul Van Dyk.


Tomei banho e fiquei esperando a Vania chegar do trabalho. Antes de ir pra festa, passaríamos na casa de uma amiga dela para a prévia. Compramos algumas coisas no mercado e fomos até lá. Para minha supresa, não era uma pré-night simples.. era quase uma outra festa, muita gente no apartamento da Paula, que aliás é uma outra menina super bacana que conheci por lá.

Muito pisco, vodca, absolut... tinha brasileiros, chilenos, peruanos e até uma mexicana e uma colombiana! Gente de todo lado! Devidamente calibrados, fomos finalmente para o evento. E que evento!

Imagem
A galera calibrando!

A estrutura era bem parecida com as festas de música eletrônica aqui no Rio. Várias pistas, bem sinalizadas, sound system satisfatório, área vip.. a surpresa foi por conta do bar. Nessa festa tinha bebida alcoólica (esqueci de mencionar no post passado, mas no Black Eyed Peas e em qualquer show em geral lá em Santiago, não se vende bebida alcoólica !!!), claro, e a compra era feita por meio de “tokens”; fichas de mesmo valor. Cada bebida requeria um certo número de tokens, variando de 1 a 4. O interessante é que comprando “tokens” em maior quantidade, saia mais barato; e que algumas bebidas que são bem caras por aqui na noite, lá no Chile é uma bagatela.

Quer um exemplo.. 1 token custava 2.000 pesos. Mais ou menos 7 reais. Comprando 6 tokens, que é o que eu fiz, saia por 10.000 pesos (tb tinha a promoção de 10 tokens por 15.000 pesos).

Sabe quanto custava um Red Bull?? Apenas 1 token!
Vodca com refrigentante?? Só 2 tokens
Absolut com refrigerante?? Também 2 tokens
Cerveja?? 1 tokenzinho! Rs

Para cerveja não é muito jogo não, pq saia a no mínimo cerca de R$ 5,25 cada garrafinha ou latinha; mas para vodca ou red bull.. tava saindo de graça praticamente
Vale ou não vale a pena!

No entanto, o que me supreendeu é que o pessoal não bebe tanto como no Rio. Vai entender...

Chegamos e logo logo começou a apresentação do David Guetta, que de longe, foi bem melhor do que a que ele havia feita uma semana antes no Rio de janeiro. Bem menos interrupções, bem mais efeitos especiais, e a galera cantando junto o tempo todo. Demais! Toda aquela turma que estava na casa da Paula ficou junto, dançando e tirando fotos; curtindo a festa e se divertindo pra valer. Foi show de bola!

Imagem
Eu e Vânia

Terminada essa parte, fomos para outra pista, coberta, para aproveitar a apresentação de um outro dj menos conhecido. Para falar a verdade, não faço idéia de quem era... Ficamos por lá, por cerca de meia hora, ou talvez um pouco mais, e então decidimos ir pra casa. Já passava das 4 da manhã e estava todo mundo morto...rs

Passando de novo pela pista principal, não resistimos e paramos para ver Paul Van Dyk tocar... foi por pouco tempo, mas deu pra perceber que o cara mandou muito bem!






Com tanta farra, o corpo já pedia por um descanso prolongado no dia seguinte. Tanto que só saímos de casa por volta das 14 horas no dia seguinte. Como já era sábado, a Vânia estava em casa e então fomos juntos para o centro. A missão era conhecer comidas típicas!!!

=)


Desta vez fomos de carro, e paramos lá perto do Zoológico que eu havia conhecido na véspera. Ali perto tem uma feirinha, que foi para onde fomos primeiro. Lá comi palmeira (que parece um folhado doce, em formato redondo, grande) e mote com huesillos...

Essa segunda iguaria é vendida por todo canto, em carrinhos, mais ou menos como os carrinho de pipoca ou churros por aqui. Trata-se de uma bebida que parece com mate, misturada com uma fruta estranha e uns gominhos amarelos (huesillos) que parecem milho... No início, eu experimentei e achei que ia gostar, mas depois de um tempo achei o gosto enjoativo.. não tomei nem comi tudo....

Andamos até a casa de Pablo Neruda, que virou uma espécie de museu e pagamos por uma visita guiada. Como só tinha vaga para 17 horas, tivemos tempo para almoçar com calma. A opção foi caminhar até o Pátio Bellavista e escolher algum lugar interessante. Pelo caminho, passamos pela Rua Pio Nono (que já comentei em postagens anteriores) e chegando lá, no fim das contas, escolhemos um restaurante peruano chamado BARANDIARAN. Antes de comer, pedimos o verdadeiro pisco sour peruano, que cá pra nós, é bem parecido com a nossa caipirinha, mas tem um pouco de um liquido vermelho que é picante...

Para comer, escolhi um filet com um complemento típico que esqueci o nome agora, e a Vânia comeu alguma coisa com camarão. Um restaurante bom, com rápido atendimento e bem localizado. Só não gostei do garçom que nos atendeu... Um pouco sem educação, mas tudo bem. A conversa foi fluindo, comemos e tiramos foto, e quando reparamos já estávamos atrasados para a visita na casa de Pablo Neruda.





….



A tal casa tem o apelido de La Chascona, que significa “A descabelada”.. um apelido carinhoso que Neruda dava a sua então amante, da época em que comprara a propriedade. O local era um refúgio para o casal, onde podiam se encontrar secretamente. Nesse tempo havia um córrego d' água, que passava no terreno e todos os cômodos possuem características ou toques que lembram um navio, já que o poeta era aficcionado por embarcações e pela vida no mar.

A casa, em sua maior parte, mantém a mobília original do tempo em que o poeta ali vivia. Muitos quadros e obras de arte (geralmente presentes de artistas amigos de vários lugares do mundo) completam a decoração do lugar. Neruda tinha um quarto para receber hóspedes, uma passagem secreta na sala de jantar (heheheh) e um escritório bem no alto da última estrutura da residência, de onde tinha uma vista bem bacana do bairro Bellavista.. sobretudo em seu tempo, quando quase não haviam prédios por ali.

A visita guiada é bacana, onde um funcionário do “museu” percorre todos os cômodos detalhando a história e contando curiosidades sobre Neruda. Soube por exemplo que, depois de um tempo naquela casa, Pablo finalmente se casou com Matilde, sua amante e passaram a viver ali oficialmente (antes a residência “oficial” era a chamada Isla Negra). No tempo que o poeta foi exilado, Matilde viveu e cuidou da propriedade sozinha. Na época da revolução, a casa foi invadida e muitas obras e pertences de Neruda foram queimados/destruídos. Há bastante história por trás daquela simples casa...

A visita termina no escritório privado de Neruda, onde a maior curiosidade foi saber que seu primeiro livro de memórias entrava no país “disfarçado”, com a capa de um livro de um outro grande escritor, velho conhecido nosso... A auto-biografia vinha com a capa de “Teresa Batista Cansada de Guerra” de Jorge Amado, para tentar furar a censura.. quem diria né?

Destaque para as várias premiações que o poeta recebeu. Num cantinho do escritório há um móvel cheio de medalhas e condecorações, recebidas em vários países; e claro, fixado na apree, para todo mundo ver, o Prêmio Nobel!! O cara era bom mesmo! rs.

É uma pena que em muitas das partes da casa não se podia fotografar. Onde dava, eu registrei!





Saimos de lá e fomos para o Shopping de Parque Arauco... era hora de fazer compras!!!! Como eu já disse, dá para encontrar muita coisa barata em Santiago, principalmente bebidas e roupas. O shopping não tem grandes novidades, mas os destaques são as grandes lojas de departamento e as lojas de grifes famosas com preços bem mais acessíveis do que aqui. Nike, Addidas, Zara, Armani, Oakley.. e várias e várias e várias...

Comprei 3 camisas e 3 calças. Também levei para casa alguns alfajores HAVANNA. Os mais conhecidos (e caros!) da América Latina.

No início da noite, ainda passamos no mercado para comprar algumas coisas e depois voltamos para casa, com mais um dia de desbravamento completo!


Estava faltando só a night de sábado... e fui parar num bar colombiano!!

Essa “aventura” e o desfecho dessa viagem eu conto amanhã, na quarta e última parte dessa história.
Não deixem de conferir!
brazdias
Site Admin
 
Mensagens: 562
Registado: Sábado Ago 07, 2010 4:21 pm

Voltar para Blog

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron